Jailson Pinheiro
Palavriando Sentimentos
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

Naturalmente
Pétalas não caem do chão, pelos não brotam na água.
Porém o chão pode perfumar-se com as pétalas e os pelos podem deitar-se ou arrepiar-se ao lamber a água.

São tantas as coisas e muitas as possibilidades...

Teimamos em limitar o infinito. Em findar o que sempre muda. Em fechar os olhos para tudo que grita por atenção. Em vestir o que a natureza desnuda a cada amanhecer.

Alimentamos a tristeza e o sofrimento quando deixamos de tratar como natural aquilo que natural se mostra.

Quantas guerras travamos com nossas limitações. Quanta falta de paz avivamos quando sorrisos poderíamos carregar pelos nossos andamentos.

Quem dera tivéssemos olhos que enxergassem além do que gostamos. A frente dos nossos medos, por trás da nossa infinita, constante e perigosa ignorância.
Jailson Pinheiro
Enviado por Jailson Pinheiro em 22/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deverá citar a autoria de Jailson Pinheiro e o link: http://www.recantodasletras.com.br/autores/jailsonpinheiro). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários